Museu da Felicidade

A Dinamarca é uma das fontes de pesquisa para a CHO Sandra Tescher

O hygge, estilo de vida dinamarquês é uma das grandes fontes de pesquisa para Sandra Teschner, fundadora do Instituto Happiness do Brasil.

Considerado o segundo país mais feliz do mundo, a Dinamarca tem um museu dedicado a felicidade.  Criado pelo Happiness Research Institute, o museu tem sete exposições interativas para mostrar a felicidade de diferentes perspectivas.

“Um museu dedicado a inspirar as pessoas a serem mais felizes, é no mínimo um endereço para deixar no radar de viagem. Marcos assim vão refazendo a nova realidade “, comenta Sandra, que também é Chief Happiness Officer.

Confira a notícia completa: https://www.sonoticiaboa.com.br/2020/09/06/dinamarca-inaugura-primeiro-museu-felicidade-mundo/

Felicidade 1 x 0 Corona Vírus

por Sandra Teschner, Chief Happiness Officer

O pânico em massa gerado pelo corona vírus, potencializado em rede, assedia o nosso bem-estar, nos transborda de cortisol, provoca o efeito nocebo, oposto ao placebo, gera assim por dizer uma sensação enferma pelo medo criado pela expectativa. Bem, se mexe com o nosso interior, a como reagimos à alguma coisa, colide com a “ felicidade” e procurei correlatar e encontrar um caminho lastreado pelo “Happiness” para responder a pauta. Dito isso, fica respondido: Não! Felicidade não é garantia contra o vírus. Para se proteger, siga as regras do ministério da saúde, ressaltando: 

1) lave bem as mãos com sabão ou álcool gel.

2) Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;

3) Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

4) Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

5) Não compartilhar objetos de uso pessoal;

Portanto, a higiene e a prevenção vêm em primeiro lugar. Nada substitui a ação , assim como também todos sabemos que a atitude de uma pessoa, pode afetar o destino dela, e deste ponto de vista, o Covid-19 segue a mesma balada. Atenção ao efeito nocebo! “Em todo lugar, falamos sobre aspectos objetivos, taxas de perigo e mortalidade do coronavírus – lembra Sandro Formica ( phd em felicidade, meu professor!) – mas nessa situação delicada os aspectos subjetivos são igualmente importantes. Vamos deixar de ser vítimas e voltar a ser protagonistas de nossa vida. Um tema fundamental está relacionado ao efeito placebo, cientificamente comprovado e que pode ativar a química do nosso corpo para resolver nossos problemas internos. Da mesma forma, podemos ativar o chamado “efeito nocebo”, também cientificamente comprovado, embora menos conhecido, o que piora nossa química interna. Este último deve ser absolutamente evitado. Sem mencionar que o estresse que estamos enfrentando já gera cortisol, responsável por diminuir nossas defesas imunológicas “. Ou seja, a chance de letalidade pelo corona vírus é infimamente menor, do que como seu corpo reage à está “ ameaça” . – EVITE A ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA DE NOTÍCIAS ALARMANTES, PROMOVA PREVENÇÃO , NÃO SOFRIMENTO!

#codv19 #happinessistheanswer #wohasu2020 #felicidadeésaúde #coronavirus

A cúpula de especialistas mundiais em “Felicidade” reúne-se na Universidade de Miami, entre eles uma brasileira se destaca

Da Redação

Pesquisadores, cientistas, autores, professores, coaches,  dividirão o palco em 3 dias de evento na Universidade de Miami.

Sandra Teschner

O line-up inclui de professores dos populares cursos de Harvard e Yale ao ex-CEO da Google que decidiu resolver a fórmula da felicidade, co-editores do World Happiness Report, economistas, filósofos, Yogis, artistas e profissionais dos mais diversos segmentos unindo suas expertises para um auditório lotado de pessoas em busca do tema que remete a qualquer um de nós.

Trata-se do WOHASU 2020 comandado pela CEO Karen Guggenheim, e sob a coordenação do professor PHD Dr. Sandro Formica. O World Happiness Summit acontece de 13 a 15 de março na Universidade de Miami. Do Brasil foi convidada a fazer parte da majestosa lista de palestrante a Publisher, social entrepreneur, Chief Happiness Officer e autora, Sandra Teschner. A baiana, que vive em São Paulo, foi especialmente convidada para um painel que reflete o tripé de seu trabalho na área: impacto social, uso de mídias sociais para o bem social, transformando teorias em passos práticos e passíveis de serem adotados por qualquer pessoa, independente de seu status na vida. O livro que Sandra lançará ainda em 2020 é uma seleção de ingredientes indispensáveis e totalmente acessíveis para sermos naturalmente felizes.

Sandra sempre se considerou (e foi considerada) uma pessoa feliz, quando há 5 anos a mesma viveu uma “Experiência Quase Morte”, e voltou da mesma cheia de dúvidas, angústias, estresse e decidiu estudar a felicidade. “Eu praticamente me afoguei no meu próprio sangue, sobrevivi a isso, tive um EQM com direito a luz do fim do túnel, uma experiencia extasiante! E ao retornar dela não foi gratidão que eu senti, foi pressão, estresse, tensão de pendências a resolver. Durante minha “estada” entre a vida e a morte, conheci uma paz indescritível através das pessoas e da ambientação que eu vi, e percebi que só eu não me sentia lá verdadeiramente satisfeita, em ‘flow’. E se eu, que simbolizo desde sempre a própria alegria de viver, não me sentia assim, longe disso, então eu tinha um job a fazer e fiz”.

Escritora, mergulhou intensamente na vasta literatura sobre o tema, viajou, estudou o world happiness report, fez pesquisas na Escandinávia, que frequentemente encabeçam a lista de países mais felizes, mais precisamente na Noruega. Descobriu o “hygge” dinamarquês. Graduada em alemão e turismo na Alemanha, e tendo vivido mais de uma década neste país, buscou em ambientes corporativos trabalhos significativos sobre o tema. No Brasil criou o evento Plantando Happiness, um grande projeto referencial para seu livro em construção. Durante 13 dias, 73 mil pessoas tiveram contato com o tema “happiness” tangibilizado através de espaços interativos e experiências em que o participante se conectasse com as propostas da “receita da felicidade”, sugerida pela autora e ao mesmo tempo que houvesse seu feedback. O sucesso da participação gratuita e aberta ao público trouxe relatos interessantíssimo em números expressivos.

Mas é na transformação social que sua plataforma de felicidade tem sua resposta mais expressiva. Ativista social passional, a Chief Happiness Officer lidera ações as quais se envolve com absoluta devoção, sendo as mais significativas seu trabalho com crianças multiplamente amputadas, e vítimas de doenças graves raras. Além de criar oportunidades que levam soluções práticas às suas protegidas, como próteses, (e crianças precisam frequentemente trocá-las), fisioterapias, custos diversos, amadrinha-as para a vida sendo um significativo sustentáculo para a construção de autoestima e autoconfiança. Para isso, promove campanhas, desfiles, destaca-as na comunicação de suas próprias mídias, já que é Publisher, como também expande em parcerias com os mais diversos veículos.

“Quando descobri que a ciência comprova que somente 10% das interferências externas são responsáveis pela nossa felicidade, enquanto 50% é genética e 40% dependem exclusivamente de nós , de nossa ações e atitudes, naquele momento eu soube que mudaria não só a minha vida; Seria uma geradora de agentes multiplicadores para que a conta dos felizes seja algarismos exponenciais!”

Sobre o convite para palestrar junto aos maiores especialistas mundiais, como o mestre da psicologia positiva, Martin Seligman, Mo Gawdat (Google), Dr. Tal Ben-Shahar (Harvard), Lord Richard Layard (World Happiness Report), entre outros,  Sandra dispara: “Minha maior satisfação é saber que escolhi viver num Ecossistema feliz, e não num “egossistema’; sinto-me honrada, leve e já realizada. Felizes sabem que expectativa e comparação são fontes de infelicidade. Sou grata pela oportunidade, porque gratidão não é uma hashtag vazia que se joga para o universo numa tentativa desesperada de alcançar algo com um pseudo-positivismo. Gratidão é estar consciente de tudo o que temos, conquistamos, de estar livre para enxergar com todos os sentidos os privilégios de estarmos vivos. Sem mas. Sem frases adversativas”, finaliza.

THE ESSENTIAL INGREDIENTS FOR BEING HAPPY

Lecturer Sandra Teschner lists some of them for a good start in 2020

Happiness is a matter of being, not having. For centuries we strode misinformed and oblivious to the best of life. It’s time to unlearn. Misled by conflicting relations with time, money, power, wealth, expectations and comparisons, we hope to achieve success as if it were synonymous with being happy. But happiness is the cause, not the consequence. It lies in the day-to-day journey that happy people live.

We confuse moments of joy, an ephemeral feeling that responds promptly to a stimulus, with happiness, that cozy prolonged sense of well-being, fulfillment, and purpose. What gives us temporary pleasure may be a positive supplement to our general state of mind, but it works as an anesthetic: the doses have to be increased permanently in order for it to work. We always want more things, we believe that when we reach this or that we will be happy, and for that we make sacrifices and get disappointed.

Activities which are not always pleasant when performed can be the foundation for long lasting well-being. Happy people cry, suffer, live through the stages of pain and regain control of their life. The opposite of happiness is not sadness, but apathy – as the opposite of love is not hate, but disdain.

Science proves that 40% of our happiness depend on the choices we make and can be learned. Even if personal, social and cultural factors interfere with the generic result of surveys, some of them are unanimous in different parts of the world. Even if a “recipe” may sound frivolous, being happy resides in a hug, in positive personal relations, in affective memories, in the possible lightness of our days. The simplicity of the ingredients (some essential ones are listed below) is the good news for this coming decade. Enjoy in moderation.

  1. Start by choosing to be happy!
  2. More eco, less ego (altruists are happier, a fact!)
  3. Smile, release endorphins.
  4. Exercise.
  5. Read what challenges you, watch what amuses you, practice what relaxes you. Blend it all.
  6. Self-knowledge is the secret of taste.
  7. Help others! Giving is better than receiving; science has proven it!
  8. Excel in empathy.
  9. Meditate, practice faith.
  10. Learn how to breathe.
  11. Adopt a pet; they know all about unconditional love and forgiveness.
  12. Bring green into your life, build your urban jungle.
  13. Place positive sentences on the walls. Your unconscious mind is recording everything!
  14. Enjoy good company, socialize.
  15. Decorate your home with meaning. Let affective memories embrace the present!
  16. Use technology as a facilitator, not as a replacement! Nothing replaces the touch.
  17. Practice reversed logistics. Reuse, recycle, re-signify!
  18. Have a list of what makes you happy with you.
  19. Do not compare yourself with others; do not. The other is not you.
  20. The expectation of what your life should be is an endless source of unhappiness. Do you want to be happy? Build. Dream possible dreams!
  21. Be truly grateful.
  22. Invest on social connections, we’re happier together.
  23. Blend all items and repeat the dose every day.
Sandra Teschner (Photo: Reproduction/ Revista Veja São Paulo)

Sandra Teschner (@sandrateschner) changed her near-death experience into a driving force to understand how to choose happiness. She got the Chief Happiness Officer Certificate from the International University of Florida, in the United States, and gives lectures now.

Sandra Teschner is a publisher, businesswoman, author, speaker on topics such as self-esteem, sustainability and fashion, and happiness. Certified by FIU (Florida International university) & Wohasu, Miami.

Versão traduzida do artigo publicado na Revista Veja SP. Para acessar a versão em português, clique aqui.

WOMEN OF THE WORLD

Sandra Teschner (Photo: Reproduction/ Revista Marie Claire)

“After nearly drowning in my own blood, I realized my mission is to spread happiness”

Five years ago, entrepreneur Sandra Teschner was between life and death because of stress-induced condition. Still in hospital, she says everything changed when, in a coma, she saw a tunnel with pink light and people around her transmitting peace. One week later, when she recovered, Sandra decided she would “spread happiness”.

Five years ago, Sandra Teschner was between life and death because of a health problem caused by stress. Still in hospital, she says everything changed when, in a coma, she saw a tunnel with pink light and people around her transmitting peace. One week later, when she recovered, Sandra decided she would “spread happiness”. She studied factors that make people happy in their everyday life and went on giving lectures around the world. Such dedication earned her the Chief Happiness Officer Certificate from the University of Florida. For Sandra, speaking of and teaching how to be happy is a mission.

It all started in July 2014 when she lost her father and grandmother within six months. Sandra plunged into her work, at the time in corporate communication, until one day, under stress, she had a nosebleed. Rushed to the hospital, the entrepreneur says she went into a coma and was admitted to the ICU. Her chances of survival were slim. She says that her brother, a cardiologist, spoke to the doctors and the prognosis was that Sandra would not see the light of day.

“I was intubated and taken to the operating room. They could not diagnose my problem. When they tried to stop the nosebleed, I inhaled my own blood and nearly drowned. My lungs were filled with blood. I remember seeing doctors around me. And that’s when I spotted a huge wooden gate. When this gate opened, I saw a tunnel, like those usually found under an overpass. And there was a very strong pink light. I was being pushed on a gurney and people looked at me with pity,” she tells Marie Claire.

“I thought I was in a mental institution, but I saw that those people were in peace, but not me. I was very anxious on the gurney looking from one side to the other. I just wanted to know where my father and my grandmother were, and I couldn’t see them,” she continues.

Sandra regained consciousness two days after she had been admitted to the ICU. “When I regained consciousness I was trying to understand all that had happened in that experience and realized that if I had seen my father and my grandmother, I would not have wanted to come back. I only had one phrase in my mind: ‘Life’s wisdom consists in changing everything you can, accepting the things you cannot change and, mostly, knowing how to tell the difference.’ I asked the doctor for a pencil and paper so I could write it, but I couldn’t. I was hospitalized for one week,” she recalls

Sandra Teschner (Photo: Reproduction/ Instagram)
Sandra Teschner (Photo: Reproduction/ Revista Marie Claire)


It was from this near-death experience that Sandra Teschner decided to study the science of happiness. She plunged into books and created a project called Planting Happiness that promises the “recipe for happiness,” combining scientifically accepted criteria for being happy with her own experiences.

“In my research, I came across a course about happiness at the University of Florida and went there to study, to discuss the subject with authors of great books, and to actively participate in study groups. At the university, I learned that scientifically happiness is a choice, that 50% of the ability of being happy is genetic, 10% is the result of external events and the other 40% can be learned,” she explains.

“It was clear that my mission would be to make other people understand that it is perfectly possible to learn how to be happy. Nowadays I practice everything I’ve learned in this specialization course and keep on learning about what makes one happy. After almost dying, I realized that I was born to spread happiness and that I could make a living out of it. I can say it’s a very rewarding job,” she observes.

Sandra has also dedicated herself to social projects with children with amputated limbs, cancer and rare syndromes.

“What changed for me since my near-death experience is I don’t want to eliminate problems and misfortunes. I know we cannot avoid obstacles. What matters is how we respond to them and that defines how we will feel. Giving is better than receiving; it’s not religion, it’s science. Being truly grateful gives you the opportunity to see the bright side of life and it reverberates more light. You can learn to be happy. And nobody needs to nearly die to learn that,” she declares.

Sandra Teschner is a publisher, businesswoman, author, speaker on topics such as self-esteem, sustainability and fashion, and happiness. Certified by FIU (Florida International university) & Wohasu, Miami.

Versão traduzida do artigo publicado na Revista Marie Claire. Para acessar a versão em português, clique aqui.

Os ingredientes indispensáveis para você ser feliz

A palestrante Sandra Teschner lista alguns deles para começar bem 2020

A felicidade é uma questão de ser, e não de ter. Galopamos pelos séculos desinformados e alheios ao melhor da vida. Está na hora de desaprender. Equivocados pelas relações conflituosas com tempo, dinheiro, poder, riqueza, expectativas e comparações, esperamos alcançar sucesso como se ele fosse um sinônimo de ser feliz. Mas a felicidade é causa, e não consequência. É na jornada do dia a dia que vivem os felizes.

Confundimos momentos de alegria, sentimento efêmero que responde pontualmente a um estímulo, com felicidade, aquela aconchegante sensação prolongada de bem-estar, realização e propósito. O que nos dá prazer momentâneo pode ser um suplemento positivo para nosso estado geral de espírito, mas funciona como um analgésico: as doses precisam ser aumentadas permanentemente para fazer efeito. Queremos sempre mais coisas, acreditamos que quando alcançarmos isso ou aquilo seremos felizes, e para isso nos sacrificamos e nos decepcionamos.

A felicidade é uma questão de ser, e não de ter. Galopamos pelos séculos desinformados e alheios ao melhor da vida. Está na hora de desaprender. Equivocados pelas relações conflituosas com tempo, dinheiro, poder, riqueza, expectativas e comparações, esperamos alcançar sucesso como se ele fosse um sinônimo de ser feliz. Mas a felicidade é causa, e não consequência. É na jornada do dia a dia que vivem os felizes.

Confundimos momentos de alegria, sentimento efêmero que responde pontualmente a um estímulo, com felicidade, aquela aconchegante sensação prolongada de bem-estar, realização e propósito. O que nos dá prazer momentâneo pode ser um suplemento positivo para nosso estado geral de espírito, mas funciona como um analgésico: as doses precisam ser aumentadas permanentemente para fazer efeito. Queremos sempre mais coisas, acreditamos que quando alcançarmos isso ou aquilo seremos felizes, e para isso nos sacrificamos e nos decepcionamos.

1. Comece escolhendo ser feliz!

2. Mais eco, menos ego (os altruístas são mais felizes, fato!).

3. Sorria, libere endorfinas.

4. Exercite-se.

5. Leia o que desafia, assista ao que diverte, pratique o que relaxa. Misture tudo.

6. Autoconhecimento é o segredo do sabor.

7. Ajude! Dar é melhor que receber, a ciência comprova!

8. Capriche na empatia.

9. Medite, pratique a fé.

10. Aprenda a respirar.

11. Adote um pet, eles sabem tudo sobre amor incondicional e perdão.

12. Traga o verde para sua vida, construa sua urban jungle.

13. Coloque nas paredes frases positivas. Seu inconsciente está registrando tudo!

14. Desfrute boa companhia, socialize.

15. Enfeite seu lar com significado. Deixe que as memórias afetivas aconcheguem o presente!

16. Use a tecnologia como facilitador, não como substituto! Nada substitui o toque.

17. Pratique a logística reversa. Reúse, recicle, ressignifique!

18. Tenha com você uma lista do que o deixa feliz.

19. Não se compare, não se compare. O outro não é você.

20. A expectativa do que sua vida deveria ser é fonte infinita de infelicidade. Quer ser feliz? Construa. Sonhe sonhos reais!

21. Seja grato de verdade.

22. Invista em conexões sociais, somos mais felizes juntos.

23. Misture todos os itens e repita a dose diariamente.

Sandra Teschner (@sandrateschner) transformou uma experiência de quase morte em propulsor para entender como optar pela felicidade. Tirou o certificado de Chief Happiness Officer pela Universidade Internacional da Flórida, nos Estados Unidos, e hoje dá palestras.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 1 de janeiro de 2020, edição nº 2667.

Plantando Happiness: a importância do design sensorial na felicidade e no bem-estar humano

Já reparou que alguns ambientes provocam uma sensação de bem-estar e outros causam uma baixa em nossa energia? Nem todo mundo está atento a essa questão, mas a forma como os locais são decorados impacta diretamente na felicidade do ser humano.

Especialista em estudos sobre a felicidade e Chief Happiness Officer certificada pela Universidade da Flórida, a empresária e publisher Sandra Teschner falou na Casa Cor 2019 em Salvador sobre a relação do design com o bem-estar. “Apesar de vivermos um momento onde a força da tecnologia é muito forte, é importante lembrarmos das sensações que o design pode nos proporcionar. Por isso, a busca pelo natural, pelas raízes, pela utilização de matérias-primas sustentáveis está em alta”, explica Sandra. “É o momento de trazer o verde para dentro de casa, as madeiras naturais, de reaproveitamento ou de demolição”.

O Happiness na arquitetura busca ressignificar peças antigas e, de fato, trazer a sensação de lar e pertencimento dentro de qualquer ambiente. O mundo moderno chegou e pede esse momento da volta do passado atrelado a tecnologia, sempre em busca da memória afetiva. Pensar nesses pontos é importante para garantir que a decoração traga o sensorial como ponto alto, influenciando no humor, comportamento e bem-estar.

Café com Felicidade no MorumbiShopping

A Chief Happiness Officer Sandra Teschner foi convidada pelo MorumbiShopping para falar sobre Felicidade e Produtividade, num café da manhã organizado especialmente para os funcionários.

O talk da especialista falou sobre a importância de se encarar a felicidade como ciência e antídoto para essa era que está cada vez mais precisando de amparo. 

Confira abaixo parte do que rolou no palco do Teatro Morumbi Shopping.